javascript:; ~ INGÁ ONLINE

sábado, 30 de abril de 2011

No DF, 2 mil famílias são sustentadas por crianças de 10 a 14 anos

Em 132 mil lares do país, crianças de 10 a 14 anos são responsáveis pelo sustento da família, o que para o IBGE é a confirmação do trabalho infantil. No Nordeste, 80,3% das residências sobrevivem com um salário mínimo por mês .
 
O Brasil tem, de acordo com os dados do Censo 2010 divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 56,5 milhões de domicílios ocupados. E mais da metade deles — 32,2 milhões — vive com apenas um salário mínimo per capita ao mês. A triste realidade da baixa renda presente se mostra também em outros números, que são igualmente preocupantes apesar de estatisticamente pequenos se olhados de maneira proporcional. Em 132 mil lares brasileiros, número maior do que o de habitantes do Gama, os chefes de família são crianças de 10 a 14 anos. Outros 61 mil jovens, com idades entre 15 e 19 anos, aparecem nas estatísticas como responsáveis pelos domicílios onde moram.

No Nordeste, a renda de 80,3% das casas é de apenas R$ 545 mensais. A região, no entanto, é a que apresenta situação melhor quanto às casas sustentadas por crianças. A maior proporção aparece no Centro-Oeste, onde 0,26% dos lares é chefiado por menores de 14 anos. O Distrito Federal fica acima da média nacional, de 0,22%, e aparece em 8º lugar no país, com 2.026 das 774.922 casas com responsáveis de até 14 anos (veja quadro acima).

A partir dos 16

Entre os estados, Amapá e Amazonas são as que têm situação mais preocupante, mesmo com números absolutos baixos. São 582 e 2.906 domicílios nestas condições, respectivamente. O equivalente a 0,37% e 0,36% do total. Segundo o presidente do IBGE, apesar dos valores proporcionais serem baixos, o Censo 2010 indica que pelo menos 132 mil crianças trabalham de forma irregular no país. “É mais uma evidência da existência do trabalho infantil, e que em muitas famílias é a principal fonte de renda”, afirma Eduardo Pereira Nunes.

A Constituição de 1988 admite o trabalho a partir dos 16 anos, exceto nos casos em que o ofício é exercido no período da noite, em situações perigosas ou insalubres, quando a idade mínima passa a ser 18 anos. É possível trabalhar ao completar 14 anos, mas apenas na condição de aprendiz.

Pelo país

    * Em todo o Brasil, 132.033 domicílios são chefiados por crianças de 10 a 14 anos. Representam 0,22% do total nacional de lares (57.428.017)

    * Proporcionalmente, o Amapá é a unidade da Federação que tem o maior quantidade de crianças no comando dos lares. São 582 residências. Ou seja, 0,37% das 156.818 dos imóveis amapaenses.

    * O Distrito Federal aparece em 8º lugar no ranking dos lares chefiados por crianças. Está acima da média nacional. Por aqui, são 2.026 casas sustentadas por pessoas com até 14 anos, o representa 0,26% do total de 774.922 residências brasilienses.

    * Já o Piauí é a unidade de Federação que, proporcionalmente, tem a menor quantidade de lares comandados por crianças. São 1.055 residências — 0,12% do total.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Powered by Blogger