javascript:; ~ INGÁ ONLINE

domingo, 15 de maio de 2011

Dunga queima a língua com Ganso e Neymar, mas vê crítica concordar com decadência de Ronaldinho

Há exatamente um ano, o ex-técnico da Seleção Brasileira, Dunga, e o seu auxiliar, Jorginho, pecavam contra os deuses da bola ao anunciar a lista dos 23 convocados para a Copa de 2010. Reféns dos títulos da Copa América (2007), da Copa das Confederações (2009), da coerência e da falta de sensibilidade para inserir no elenco talentos de última hora, nenhum dos dois se curvou aos talentos de Neymar e Paulo Henrique Ganso. Ronaldinho Gaúcho também não foi chamado.

Dos três desprezados, dois continuam jogando tão bem quanto às vésperas do embarque da Seleção Brasileira para a África do Sul. O outro vai de mau a pior na volta ao país. Protagonista de um clamor popular às vésperas da lista de Dunga, o atacante Neymar, do Santos, já foi o artilheiro disparado do Sul-Americano Sub-20, no Peru, classificou o país para os Jogos Olímpicos de Londres-2012, é titular na esquadra de Mano Menezes e prova cada vez mais que, além de precoce, é diferenciado.

Dunga não interpretou assim em 11 de maio de 2010. Questionado se não deveria levar Neymar no mínimo para dar experiência à joia rara, o treinador partiu para o enfrentamento e não deu ouvidos à voz do povo. “Eu tenho que ganhar a Copa de 2010. Como vou preparar a Seleção para a Copa de 2014? Até brinquei com o Jorginho que, se fosse para dar experiência, levaria o meu filho e o dele.”

Às vésperas da convocação, Neymar e Ganso viviam momentos semelhantes ao de 2011. A dupla dinâmica tinha levado o Santos à final do Campeonato Paulista, contra o Santo André, com exibições e um time superiores ao atual, liderado à época por Dorival Júnior.

Desatento, Dunga cometeu a gafe de dizer que o meia Ganso era reserva na Seleção Brasileira vice-campeã mundial Sub-20 em 2009, no Egito. O craque do Peixe era titular na trupe de Rogério Lourenço, ao lado de nomes como Giuliano e Douglas Costa, por exemplo. Um ano depois, o meia é imprescindível para a Seleção. Vestiu a camisa 10 apenas uma vez, em agosto do ano passado, na vitória por 2 x 0 sobre os Estados Unidos. Foi o suficiente para alugá-la. Ronaldinho Gaúcho, Carlos Eduardo, Giuliano, Philippe Coutinho, Renato Augusto e Douglas já foram testados, mas nenhum vingou.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Powered by Blogger