javascript:; ~ INGÁ ONLINE

domingo, 29 de maio de 2011

Moradores pedem mais segurança na pista onde cinco mulheres perderam a vidaUm acidente grave na manhã de ontem (28/5), na DF-001, provocou a morte de cinco mulheres que ocupavam o mesmo veículo. Todas moravam em Brazlândia e seguiam para Taguatinga, onde cursavam pedagogia. O acidente chocou moradores da região agrícola localizada entre o viaduto do Pistão Norte e a BR-080, num longo trecho conhecido como “Curva da morte”. Eles reclamam de conviver frequentemente com acidentes na via.

Deigiane de Souza Campos Fleury, 25 anos; Bruna Carla de Oliveira, 22; Cleitiane Fleury, 24, e Márcia Cristiana Costa, 29, morreram na hora da colisão, por volta das 8h. A última vítima, identificada como Magna Alessandra, foi levada em estado gravíssimo ao Hospital de Base pelo helicóptero dos Bombeiros, mas acabou morrendo no centro cirúrgico. Eram alunas do primeiro semestre de pedagogia de uma instituição particular de Taguatinga Sul. Ao Correio, conhecidos das vítimas informaram que Cleitiane deixou uma filha pequena; Deigiane, um casal de crianças, ambos com menos de 5 anos; e Márcia, um bebê com 1 ano recém-completado.

O acidente envolveu outros dois carros. Segundo uma testemunha que não quis se identificar, o automóvel onde estavam as mulheres, um Corsa branco, placa JFW-2458, seguia no sentido Brazlândia quando perdeu o controle da direção, foi para o acostamento e rodou na pista, atingindo a caminhonete Ford Ranger verde, placa JER-3185, que seguia naquela direção.

“Mas não estava sendo feita nenhuma ultrapassagem”, afirmou a testemunha. Ele atingiu a traseira da Ranger e não se feriu. O Corsa acabou caindo no mato ao lado da pista. O motorista da Ranger, o aposentado Antônio Marinho, 64 anos, quebrou uma perna e a clavícula e foi levado ao Hospital de Ceilândia. “Soltou o airbag, e ele só não voou porque estava com cinto, graças a Deus”, disse, aliviada, a filha de Antônio, a advogada Fabíola Lopes, 30, que não estava com o pai na hora do acidente.

Deise Rizzi, coordenadora da faculdade onde estudavam as cinco mulheres que estavam no Corsa, contou que o grupo tinha outra integrante, que normalmente vinha no mesmo carro. Ontem, no entanto, ela decidiu ir de ônibus para ceder o assento a Bruna Carla de Oliveira.


Uma cruz na estrada assinala: trecho tem sido palco de tragédias
Uma cruz na estrada assinala: trecho tem sido palco      

0 comentários:

Postar um comentário

 
Powered by Blogger