javascript:; ~ INGÁ ONLINE

terça-feira, 10 de maio de 2011

Polícia usa balas de borracha contra manifestantes para liberar BR 040

Moradores de Valparaíso protestavam contra falta de passarela.
Criança morreu atropelada no local, e motorista fugiu sem prestar socorro.

 A Polícia Rodoviária Federal dispersou com balas de borracha uma manifestação realizada na tarde desta segunda-feira (9) na BR-040, na altura de Valparaíso (GO), por moradores da cidade. Eles fecharam as duas pistas da rodovia depois de um motorista atropelar uma criança e fugir, por volta das 12h30. A criança morreu. Pelo menos duas pessoas ficaram feridas no protesto e outra foi detida pela polícia. A interdição da rodovia durou cerca de quatro horas e provocou um congestionamento de sete quilômetros. "Eles queriam liberar a pista a qualquer custo", disse uma manifestante.

Os manifestantes atearam fogo em madeiras e pneus. Eles exigiam a presença de um representante da prefeitura ou do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) para negociar a construção de uma passarela de pedestres no local.

O chefe do policiamento do 1º Distrito da PRF, Marcelo Marra, disse concordar com a necessidade de uma alternativa para os pedestres. “É uma área urbana muito próxima a uma rodovia. Realmente necessita de passarelas”, afirmou.
O trânsito foi liberado pela polícia sem que os moradores conseguissem contato com autoridades locais. “Infelizmente foi à força”, disse Marra.
Família
A menina de 9 anos foi atropelada, segundo testemunhas, por um motorista em um  Santana, que não parou para prestar socorro. Segundo a mãe da garota, Luzia de Holanda, foi a primeira vez que a menina atravessou a rodovia sozinha.
Os moradores da região afirmam que é necessário atravessar diariamente a BR 040 para ir ao ponto de ônibus, ao mercado, à padaria e até mesmo à escola.
“Hoje eu estava desse jeito [com a perna quebrada] e pedi para ela ir lá comprar carne”, disse. Luzia, que tem outros dois filhos, diz que tinha medo de levá-los para o outro lado da rodovia. "Seu filho não pode andar cem metros que corre risco de vida."
 

0 comentários:

Postar um comentário

 
Powered by Blogger